segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Os roteiristas brasileiros

Um dos objetivos deste blog é resgatar e criar uma memória dos roteiristas brasileiros. Para isso, seria interessante criar uma relação dos roteiristas brasileiros, por geração. Coloco abaixo, alguns que me lembro. Se lembrarem de outros, por favor, avisem deixando um recado na caixa de comentários. Atenção: só valem roteiristas. Quem escreve e desenha entra em outra categoria. Outra coisa: só valem aqueles que tiveram uma produção regular.

Primeira geração (até o início da década e 1970)
Rubens Luchetti (várias histórias de terror)
Luis Meri (várias histórias, inclusive de guerra)
Francisco de Assis (escreveu roteiros para a Taika)
Carlos Magno (escreveu muito para a Edrel, e posteriormente, para a Grafipar)
Oscar Kern (roteirista da Disney)
Ivan Saidenberg (roteiristas de Terror da Outubro e, posteriormente, um dos mais importantes roteiristas Disney do Brasil)

Segunda geração (Grafipar, Vecchi)
Júlio Emílio Brás (escreveu roteiro para várias editoras, depois tornou-se autor de livros juvenis) Wilde Portela (fez muito sucesso com o personagem Chet, desenhado pelo irmão, Watson Portela)
Ataíde Braz
Luiz Antônio Aguiar
Ivan Jaff (escreveu roteiros para a Spektro. Depois tornou-se escritor de livros juvenis)
Nelson Padrella (escreveu roteiros para a Grafipar, conhecidos pela poesia e pelo jogo de palavras. Atualmente é um escritor e jornalista respeitado em Curitiba)
Jorge Fischer


Terceira geração (anos 1990)
Gian Danton
Marcelo Marat
Wander Antunes
Roberto Guedes
Dario Chaves
A. Moraes
Alex Mir


Quarta geração (anos 2000)
Leo Santana
Cadu Simões
Leonardo Melo
André Diniz
Matheus Moura
Wellingon Srbek (Solar, Histórias gerais)
Dark Marcos
Gonçalo Jr.
José Salles
Alexandre Lobão
Caetano Neto (Tianinha)
Daniel Esteves
Zé Wellington

14 comentários:

Joe de Lima disse...

Gian, faltou o Alexandre Nagado.

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

O Alexandre Nagado também desenha, não? Estou listando aqueles que apenas escrevem, senão teria que incluir muito mais gente, como Laerte, Glauco, Angeli, Adão, etc... O André Diniz também desenha, mas ele mesmo diz que prefere escrever, é mais roteirista do que desenhista.

Douglas MCT disse...

Gian,

Via twitter, dias atrás, fiz uma enorme lista de Roteiristas não-desenhistas, já publicados, que faltaram a lote por aqui.

Creio que tenha lido.
Abs

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

Douglas,

não vi essa lista no Twitter. Pode colocar essa lista aqui? A ideia desse post é justamente que o pessoal me ajude nessa relação.

Alexandre Nagado disse...

Olá.

Ei, sem querer ser chato, mas o Cassaro também desenha, e muito...

De atitivdade exclusiva como roteirista, tem a Petra Leão (anos 90), Rodrigo de Goes (anos 80), Emerson Abreu (anos 90)...

lielson disse...

acho que faltou o Wellington Srbek. só não sei se na geração 2000 ou 1990.

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

O JJ Marreiro me lembrou de dois nomes: Dark Marcos e Alexandre Lobão. Não sabia que o Cassaro desenhava. Já vou tirar da lista. A ideia aqui é colocar quem só escreve, ou que pelo menos se tornou famoso apenas por causa dos roteiros.

Ataide disse...

Gian: notei a falta de alguns nomes que deveriam ser citados. Na primeira geração faltaram os nomes de duas roteiristas (creio que uma se chama Helena fonseca), não tenho certeza quanto aos nomes por que elas são muito pouco citadas. Escreveram muitos roteiros para a editora Taika. Mas pelo tanto que escreveram, não deveriam ser ignoradas, mas são... tanto que nem lembro dos nomes delas, mas elas escreveram histórias de terror, terrir.
Houve outra que escreveu para a Specktro.
Faltou também o nome do Carlo Magno, que trabalhou para a Edrel e depois para a Grafipar.
Na segunda geração faltou o nome do Jorge Fischer.
E, apesar de não ter como citar nomes, não podemos esquecer as equipes do Mauricio de Souza e mesmo da Disney. Existe um certo preconceito contra aqueles que escrevem hq com personagens de outros.Mas há excelentes roteiristas nestas equipes.
Abs, Ataíde Braz

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

Oi Ataíde, Muito obrigado pelo comentário e pela lembrança. O Carlos Magno está na lista, mas como começou na Edrel, eu coloquei na primeira geração. Acho lamentável esse preconceito contra roteirista, mesmo os que escrevem personagens de outros, como o pessoal do estúdios. Ainda bem que o Maurício já está revendo essa prática e já pensa em colocar créditos. No Cascão Porker não sai crédito por erro, mas o próprio Maurício creditou no Twitter. O objetivo deste post é justamente lembrar desse pessoal esquecido.A Helena não escreveu alguns roteiros para a Calafrio? Vou ver se acho o nome completo dela nas poucas ediçoes que tenho aqui. Jorge Fischer foi mesmo um esquecimento. Bom roteirista. Jà vou colocar no post.

Ataide disse...

Oi, Gian: tentando me lembrar do nome das roteirista, lembrei de outro. Assinava Francisco de Assis e escreveu algumas HQs para a Taika.
Isso mostra como faz falta registros, como o seu blog, para preservar a memória e mostrar aos novos roteirista quem foram seus ancestrais na profissão.
Uma vez encontrei num tipo de biblioteca online da Holanda referências ao meu nome e aqui no Brasil as referências estão sempre ligadas as referências sobre algum desenhista. A importância do seu blog é justamente ressaltar os roteiros e resgatar os nossos "ancestrais". Quando olhamos uma teve de LCD, raros são os que se lembram ou sabe da maravilha que foi as TVs à valvulas.Ou mesmo quem foi a pessoa que imaginou ser possível enviar imagens e sons através de ondas.
Agora mudando de assunto, se for possível corrigir o meu nome... A grafia correta é: Braz
Abraços, Ataíde

esteves-hqemfoco disse...

Opa Gian,

Publico desde começo dos anos 2000 com certa regularidade em publicações como: Front, Quadreca, Quadrinhopole, Garagem Hermética, Subterrâneo, Café Espacial, além de material auto-editado: HQEMFOCO, HQEMFOCO Mangá, Algumas Histórias e a revista que produzo atualmente Nanquim Descartável.

Ainda nos roteiristas dos Anos 2000 citaria: Alex Mir, Cadu Simões, Abs Moraes...

grande abraço.

Anônimo disse...

o Francisco de Assis era muito bom também, seu texto era bem rápido e curto, os desenhistas deviam adorar os roteiros dele. Tinha pouco texto, era mais diálogos.Uma coisa que não vejo mais é gibis nacionais nas bancas aqui da minha cidade, moro no interior. Mas teve uma época, quando eu era mais novo, a gente ia numa banca de gibi e tinha uma carrada de gibis nacionais, principalmente de terror. Será que a internet, coo fonte de entretenimento e leitura, tirou um pouco os quadrinhos brasileiros das bancas?

kamyla fischer disse...

Sou neta de ajorgr Fischer.
Alguém teria algum material dele?
Tenho apenas um livro.

RoteiristaLeo disse...

Queria agradecer pela lembrança do meu nome nesta lista tão importante. Muito obrigado, Ivan!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails