quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

GARDNER FOX – O Homem de Prata

Injustamente esquecido nas listas de “melhores roteiristas de Hqs de todos os tempos”, Gardner Fox criou universos, terras paralelas, heróis impossíveis e influenciou gente como Stan Lee, Alan Moore e Neil Gaiman. Ccom vocês o rei da era de prata.

Por Jefferson Nunes

Gardner Francis Gordon nasceu em 20 de maio de 1911, no Brooklin Ny. Passou sua infância mergulhado nos pulps, formou-se em direito pela Universidade de St. John e exerceu o cargo de advogado por dois anos. Mas sua paixão pelos pulps falaria mais alto....
Nos anos 30, começou a escrever para os pulps que povoavam sua infância. Um de seus primeiros trabalhos era uma espécie de pulp quadrinhizado chamado de Crom, o Bárbaro, com a estória Deus Aranha de Akka. Nessa época , Fox assinava com o nome de Joe Giunta e era fã dos pulps escritos por Robert E. Howard , criador do bárbaro Conan . Os dois dividiam histórias na revista pulp Weird Tales na qual, em 1934, Gardner Fox também publicou o conto The Weirds of The Woodcarver .
Seu primeiro contato com o mundo dos quadrinhos aconteceu em 1935, quando conheceu Vincent Sullivan, então editor-chefe da National Periodicals, onde dois anos depois escreveria estórias do personagem Steve Malone.
Em 1939, Gardner Fox chegou a ajudar Bob Kane , o criador do Batman, a escrever algumas histórias do herói, dividindo o roteiro com Bill Finger (reza a lenda que muitos dos roteiros creditados a Finger eram, na verdade, escritos de Fox). Foram suas, por exemplos, as criações do famoso bat-rangue e do batplano.
Mas em 1940 Fox passou de mero coadjuvante para a categoria dos grandes dos quadrinhos quando criou o primeiro Flash (conhecido no Brasil como Joel Ciclone ), para a revista Flash Comics. Nesse mesmo titulo, lançou outras criações suas, como o primeiro Gavião Negro (Hawkman ), com o desenhista Dennis Nevill, e o piloto Cliff Cornwall juntamente com o desenhista Sheldon Moldoff.
Para a revista More Fun Comics, número 55, criou o personagem místico Senhor Destino (Doctor Fate ) inspirado nos contos sombrios de H. P. Lovecraft, um tipo de super herói que seria imitado à exaustão nos próximos anos.
Para o número 16 da revista All American Comics , criou o primeiro Lanterna Verde , sob a identidade secreta de Alan Scott, dando continuidade as suas influencias Lovecraftianas. E, juntamente com Craig Flessel, criou o primeiro super herói a ser chamado de Sandman, baseando-se em um antigo personagem de pulp chamado Gray Seal .
Um dia o editor Sheldon Mayer teve a idéia de reunir oito personagens da National em uma única revista e pela primeira vez atuariam juntos em uma única estória. Quatro desses personagens eram de Fox ( Flash , Gavião Negro , Senhor Destino e o primeiro Sandman ), assim ninguém mais qualificado que ele para escrever tal estoria. Surgiu então a Sociedade da Justiça da América , o primeiro super grupo da história dos quadrinhos, lançado no terceiro número da revista All Star Comics.
Durante sua carreira, Fox dividiu seu tempo entre suas HQs e seus estimados pulps. Nos quadrinhos, criou muitas histórias com o Gavião Negro , Sandman , Espectro , Senhor Destino e muitos outros personagens da National. Mas um fator seria primordial para que Fox se tornasse uma referencia: A Segunda Guerra Mundial.
Com a convocação de vários quadrinhistas para a lutar na guerra, Fox teve de assumir a escrita de vários títulos de varias editoras diferentes pois foi impedido de ser convocado por apresentar problemas de saúde.
Para a editora Columbia criou os personagens Skyman e The Face. Trabalhou também em diversos títulos da EC Comics e na Magazine Enterprises, na qual roterizou histórias que contavam com a arte de uma futura lenda dos quadrinhos: Frank Frazetta .
Mesmo com o fim da guerra Fox continuou a acumular essa imensa quantidade de trabalho, escrevendo títulos como Strange Adventures, Tales of the Unexpected e Mystery in Space .
No final dos anos 50 os super heróis começaram a ser esquecidos. Com o final da guerra ninguém precisava mais de heróis uniformizados foi ai Gardner Fox, juntamente com Julius Schwartz , então editor da National (que viria a se tornar a editora DC Comics ), começaram a dar origem à chamada a Era de Prata dos quadrinhos.
Surgiram então novas versões de personagens, como o Flash , que agora era o policial Barry Allen (e não Jay Garrick como anteriormente), o novo Lanterna Verde ( Hal Jordan ) um patrulheiro cósmico a serviço dos guardiões do universo, entre outros personagens. Uma solução curiosa foi empregada para explicar o repentino sumiço dos ícones do passado : Os heróis da Era de Ouro tornaram- se meros personagens de histórias em quadrinhos... que eram lidas pelos personagens da Era de Prata.
No começo dos anos 60, criou para a revista Mystery in Space aquele que era o seu personagem preferido (talvez por se parecer tanto com os pulps de ficção científica e aventura): Adam Strange , um arqueologista que era teleportado para um planeta distante e ajudava em missões como impedir invasões alienígenas.
Em fevereiro de 1960, no número 28 da revista The Brave and The Bold reuniu o principais personagens da DC em uma única história e, assim, nasceu a Liga da Justiça da América . A equipe era formada por três personagens reformulados (o novo Lanterna Verde , o novo Flash e Ajax ) além de quatro personagens clássicos (mesmo que da chamada Terra 1 ou Ativa: Mulher Maravilha , Aquaman , Superman e Batman ).
Em setembro de 1961, na número 123 da revista Flash, mais especificamente na história Flash de Dois Mundos , como o próprio título diz, os dois personagens se encontram, criando-se o conceito de uma Terra Paralela , uma dimensão onde existem versões dos personagens de cada mundo, bem como rumos diferentes que a história tomou.
No mês seguinte, no número 34 da revista Showcase , surge Ray Palmer o novo Atom (conhecido no Brasil como Elektron ), o diminuto herói que ingressaria na Liga da Justiça no ano seguinte. O personagem teria uma parceria com outro personagem reformulado na mesma época: Katar Hol , o novo Gavião Negro. Todos esse conceitos são utilizados a exaustão ate hoje tanto pela DC (vide suas intermináveis crises) quanto pela Marvel e seus inúmeros super grupos.
Mesmo produzindo tantos clássicos, sua antiga paixão, os pulps, não fora deixada de lado. Em 1964 publicou a série Llard com a saga Warriors of Llarn, que foi parcialmente quadrinizada por Roy Thomas no futuro, e com Thief of Llarn (de 1966). E o mais incrível é que, apesar de ser um conceituado nome da indústria, era humilde o bastante para publicar tais histórias em um fanzine: o Star-Studded Comics. Aliás, a amizade com Roy Thomas (um dos principais escritores da Marvel Comics no futuro, destacando-se seus roteiros para as aventuras do bárbaro Conan) surgiu justamente da amizade entre o escritor e os fanzines da época. É que Thomas, juntamente com Jerry Bails , editava o zine Alter Ego , que recebia colaborações valorosas (vale citar que esse fanzine, ao contrário do que se imagina, trazia uma qualidade gráfica acima de muitas revistas ditas profissionais).
Em 1968 a carreira de Fox entrou em declinio. Uma mudança de acionistas na Dc comics fez com que Gardner fosse despedido, pois os novos acionistas achavam que ele poderia usar de sua posição de um dos fundadores do univeros DC para atrapalhar a nova administração.
Seus últimos trabalhos para a editora foram o Cavaleiro Atômico e o Lanterna Verde Guy Gardner (entre outros de menor expressão).
Desde então, Gardner Fox não conseguiu mais ter sucesso . Chegou a publicar na Marvel. Suas estorias apareceram em revistas de terror e ficção (sua verdadeira paixao) como Tomb of Dracula , Chamber of Chills , Vampire Tales , Creatures on The Loose , Dracula Lives! e Doc Savage .
Escreveu para a revista do Doutor Estranho e na revista Marvel Premiere criou um super herói indígena com ares de personagem místico, Lobo Vermelho (Red Wolf), sua única chance de se emplacar uma revista de linha, mas isso não aconteceu.
Só não se aposentou por definitivo devido ao mundo dos pulps e dos fanzines. Em 1969 publicou pulps com um personagem claramente inspirado em Conan , chamado Kothar , nas histórias Magic Sword e Kothar and the Demon Queen. Em 1970, escreveu Kothar and the Conjuror's Curse (que foi adaptada para os quadrinhos de Conan , publicados pela Marvel ) e Kothar and the Wizard Slayer . Em 1975 publica Warlock Warrior e Kyrick Fights The Demon World ( Kyrick era uma espécie de Kothar - ou Conan - mais obscuro). Em 1976, continuando com os pulps, publica Kyrick and the Wizard's Sword e Kyrick and the Lost Queen.
Gardner Fox faleceu em 24 de dezembro de 1986. Sua história e incrível não só por sua valiosa contribuição aos grandes mitos criados no mundo dos quadrinhos. É nótavel também por sua energia em produzir, mesmo diante de tão infeliz final. Nunca se deixou abater e honrou aquilo que sempre gostou de fazer. Tinha como lema: um comic por semana, quatro ou cinco livros por ano. E até ultrapassava essa louvável marca. Mesmo tendo seu nome estampado em tantas obras, ainda é possível ver outros nomes que assinou, tamanho era o volume de histórias que escreveu. Jefferson Cooper , Bart Sommers, Paul Dean , Ray Garner , Lynette Cooper ... todos eram, na verdade, Gardner Fox . Pseudônimos de um escritor que produziu o suficiente para ocupar milhares de terras paralelas.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Archie Goodwin


Archie Goodwin é um daqueles mestres dos quadrinhos que aos poucos vem sendo esquecido. Apesar do seu excelente trabalho como editor e escritor, sua produção mais famosa se concentrou entre a década de 60 e 70 e, infelizmente, não é tão lembrada quando a de outros quadrinhistas.
Archie Goodwin nasceu em 8 de setembro de 1937 na cidade do Kansas, Missouri. Contudo sua família se mudava muito, então passou sua infância em várias cidades. Quando ele chegou ao segundo grau, finalmente sua família tinha se estabilizado em Tulsa, Oklahoma, onde pôde freqüentar o Will Rogers High School. Lá ele ficaria amigo de Paul Davis e Russell Myers, com quem, anos mais tarde, criaria a tira de humor Broom-Hilda. Leia mais

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails