quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Registro de roteiros

Toda semana alguém entra em contato perguntando como registrar roteiro de quadrinhos. Cansado de responder individualmente, resolvi fazer um post sobre o assunto.
O registro é feito na Biblioteca Nacional. Clique aqui para uma página da Biblioteca com perguntas e respostas sobre esse processo de registro.
O registro não assegura direito sobre a ideia, mas apenas a forma. Ou seja: o registro não garante que alguém não vá escrever algo semelhante, mas assegura contra plágios descarados, aquele indivíduo que pega seu texto e publica como sendo dele. O registro não é garantia contra textos requentados ou modificados.
O registro é pago e os originais devem ser enviados pelo correio, embora seja possível baixar a ficha de inscrição no site da Biblioteca Nacional.
O valor normal do registro é R$ 20,00. Mais o Sedex, deve ficar tudo numa média de 50 reais.
Aí também é preciso ponderar se vale a pena registrar. Tem gente que me procura perguntando como registrar um roteiro de duas páginas. Ora, as editoras que pagam melhor, pagam 15 reais a página de roteiro. Nesse caso, você vai gastar mais para registrar do que irá possivelmente receber pela obra. Isso se receber, claro. Eu já levei calotes Homéricos - uma editora portuguesa me encomedou cinco histórias de 12 páginas. No final, não pubicou nem pagou nada e ainda fizeram a proposta indecorosa de me ceder a horrível logo criada pelo artista deles para a minha personagem como forma de pagamento.
Também é importante lembrar que a maioria das editoras prefere não pagar os roteiristas, mas pegar projetos prontos e pagar direitos autorais após as vendas. Se vender bem, você pode ganhar alguma grana. Um amigo meu que publicou um álbum por uma editora grande só recebeu alguns exemplares como pagamento. A mesma coisa aconteceu com o meu álbum War, histórias de guerra. O pagamento foram alguns exemplares.

13 comentários:

Tiago Freitas disse...

Legal, Gian!! Vlw pelas dicas!!!

Zé Wellington disse...

Tenho impressão que eu provoquei esse post! hehe...

Muito obrigado, Gian!

Anônimo disse...

Então se alguém envia um material para uma editora, eles lêem e não publicam, e depois de um tempo eles "criam" algo semelhante, com créditos para outra pessoa, está tudo certo? Nesse caso específico, não daria pra provar que houve o envio do material original pra eles, etc, etc?

alex disse...

Cara; parabéns pelo post!!! Ótima dica para quem está querendo saber a respeito.

Só considero que, independente de retorno financeiro imediato ou não, sempre vale a pena (a médio ou longo prazo) registrar. E a BN também já possui um registro de hqs, que engloba os quadros também, por valor semelhante.

www.projetokaplan.com.br

Alex D'ates;
aquele abraço.

Tiago Freitas disse...

Eu também fui um dos provocadores desse post!!! rs!! Eu estou escrevando um roteiro de mangá e tenho o mesmo receio o "Anônimo" postou... por isso quis perguntar ao Gian... :)

Anônimo disse...

Dá pra registrar só o roteiro da HQ na BN, ou tem que ser a pág finalizada? Como funciona isso? Não sabia que dava pra registrar HQ lá...

Estou anônimo porque tenho vergonha de mim... onde já se viu um homem barbado querendo ganhar a vida escrevendo “gibizinho”? hehehe

(pelo menos é o que minha família me joga na cara)

Joe de Lima disse...

Realmente as regras pra registros autorais são uma dor de cabeça, levei quase um ano pra conseguir registrar um livro.

Anônimo disse...

E no final das contas ninguem esclareceu minha dúvida...

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

Oi Anônimo,
dá para registrar a página finalizada como sendo desenho. Dê uma olhada no link. Là explica como fazer e o preço. Se não me engano, ficaria 40 reais o registro de cada página em PB. Se for colorida, pula para 60 reais.
um abraço,
gian danton

Gian Danton/Ivan Carlo disse...

Anônimo,
o registro garante apenas a forma, não a ideia. Por isso que existem personagens semelhantes, como Flash e Mercúrio, Gavião Negro e Arqueiro Verde, etc. Mas, no caso de você ter mandado material para a editora e terem feito uma cópia descarada, creio que seja possível acionar judicialmente. Para isso, guarde a comprovação dos contatos com as editoras, como os e-mails. Mas casos como esse são raros no Brasil. O mais comum é a editora publicar e não pagar.

Anônimo disse...

Valeu, Gian!! Agradeço muito a sua atenção!! A propósito, estou gostano muito deste blog. O conheci há pouco tempo, e já o coloquei no meu favoritos. Parabéns!!

Paulo Aragão disse...

Você quis dizer Gavião ARQUEIRO e Arqueiro Verde né, Gian? :)

Zé Wellington disse...

E o trófeu Cata-Piolho vai para o Paulo Aragão! hehehe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails