quarta-feira, 25 de junho de 2014

O valor de cada quadro na página

Em uma página de quadrinhos, os quadros podem ter valor narrativo diferente. Alguns merecem maior destaque, seja pela sua importância para a história, seja pelo seu valor dramático ou de ação. Ou seja: alguns quadros são apenas narrativos, outros devem provocar um impacto no leitor. Os quadros de impacto são maiores exatamente por serem mais importantes. O roteirista deve indicar, no roteiro, quando há um quadro de impacto na página.
A minissérie Watchmen é um ótimo exemplo de como utilizar esse recurso, sendo uma verdadeira aula.
Abaixo uma página em que todos quadros têm a mesma importância:
Já na página seguinte, o último quadro tem maior valor dramático. Todos os outros são apenas uma preparação para o impacto deste último, pois o destino do mundo está nas mãos de um idiota:
Watchmen usa um esquema fixo de 9 quadros por página, como se fossem blocos que pudessem ser separados ou unidos.
Para formatinho, o esquema de 6 quadros funciona muito bem e pode ser usado da mesma maneira, inclusive com quadros de impacto. Ótimo exemplo disso são as páginas de Júlias, as aventuras de uma criminóloga.
Na página abaixo, de simples diálogo, não há necessidade de qualquer impacto, então os quadros são iguais: 
Já na página abaixo, o último quadro é maior, de impacto, para destacar a violência do personagem:
Abaixo um exemplo do Monstro do Pântano, de Alan Moore, com um esquema de quadros mais solto, mas que igualmente usa o tamanho do quadro para dar impacto à cena:

3 comentários:

Gilberto Queiroz disse...

Ótima postagem, Gian. Abração!

Bruce Wayne. disse...

Muito bom o seu texto. Aquela página da história "Relójoeiro" é uma das mais belas para mim, para rivalizar com ela são poucas, entre elas as sequencias de "Terrível Simétria" ou a história seguinte que não me recordo o nome agora, no qual Rorschach é avaliado pelo psicanalista. Estou tentando ilustrar amadoramente quadrinhos e essa sempre é uma dificuldade constante.

Leo Vidal disse...

Estava "folheando" o blog e achando coisas interessantes, muito legal, meus parabéns.

Acho que, se cê vai mencionar o ritmo narrativo de Watchmen, com seus 9 quadros por página, seria interessante mencionar também o ponto crucial, com o monte de páginas de quadro inteiro quando a lula gigante é teleportada e mata metade de NY. Na minha opinião, o ritmo é deliberado: faz a Graphic Novel funcionar como um relógio, que 'clica' com ritmo certo os 59 minutos e dá as badaladas no ponto crucial, o pico emocional da história.

Abração.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails